Entrevista com Pablo Palominos

Por Ana Carvalho Publicado em 10 de julho de 2017

Pablo Palominos
Idade: 32 anos
Cidade: Santiago do Chile
Especialidade: New School, Full Collor.

Como começou a tatuar? Conte suas experiências iniciais, dificuldades encontradas e superações.

Tatuo há 9 anos, iniciei no meu país de origem (Chile). Nunca pensei em ser tatuador, acho que foi o destino.

Visitava muito a loja de um tatuador, nos tornamos amigos, comentei que eu desenhava, mostrei pra ele meus desenhos e esse amigo me incentivou a iniciar minha carreira como tatuador, me ensinou os primeiros passos e me emprestou a máquina que usei para fazer minha primeira tatuagem (em minha própria perna).

Já passei por muitas dificuldades, tudo era complicado quando comecei: a compra dos materiais, encontrar orientação técnica, e lidar com o preconceito da época em relação a tatuadores e pessoas tatuadas.

Em relação a superação é diária, cada tatuagem é um desafio e uma oportunidade de melhorar, deixar meu cliente feliz.


Você já tatuou em alguns países fora do Brasil, você acredita que exista diferença entre a tatuagem no Brasil e no exterior? Qual seria essa diferença?

Tatuei no Brasil, Chile e Argentina. A mudança em cada um desses países é enorme, especialmente no que diz respeito ao valor da arte e do artista.

Quanto mais resistente é o país, mais difícil é entrar no mercado, mostrar e provar o valor da arte de uma tatuagem. Se tatuar é um luxo, então depende também da situação socioeconômica de cada país.

Em relação ao Brasil, quais os motivos que te fizeram permanecer aqui, sobre clientes e cultura da tatuagem no Brasil?

O que gosto no Brasil é a cultura artística, muita aceitação de arte urbana (grafitti, música) e a diversidade que há aqui.

O nível dos tatuadores é muito bom, o que me incentiva a sempre aprimorar a minha própria arte. Os clientes são mais fiéis, escolhem um profissional e querem sempre se tatuar com ele, pois dão valor ao trabalho único de cada pessoa.


Você já participou de diversos eventos de tatuagem, conte algumas experiências marcantes.

Minhas experiências mais marcantes foram meus prêmios (em new school e full color) e também a troca de ideias, experiências e técnicas com outros artistas. É possível aprender um pouquinho com cada um, além de receber o carinho e incentivo do público.


O Tattoo Week é o maior evento do mundo de tatuagem, como é participar desse evento com tantas honras?

É um evento muito bom, que abre muitas portas na minha carreira. É um mundo totalmente novo, fiquei impressionado com as dimensões do evento, além da possibilidade de conhecer artistas tão bons e famosos a nível mundial. Uma verdadeira vitrine, e um grande orgulho fazer parte desse evento.


Como você acha que os eventos de tatuagem agregam na cena?

Um evento desse porte ajuda imensamente a divulgar essa arte para outros tipos de público, tirar o estigma negativo do preconceito que ainda existe nesse meio, mostrando que é um ambiente familiar e que pode incluir a todos. Além de educar sobre melhores práticas, saúde e higiene para ajudar a escolher bons profissionais e garantir trabalho um trabalho de qualidade.

Recomende 5 eventos no Brasil.

TattooWeek SP/RJ
IncorporeArt
Convenção Joinville
BH Tattoo

Mas todo evento é válido para divulgar, conhecer pessoas novas e aprender.

Deixe um recado para seus admiradores.
Obrigado por acompanhar meus trabalhos e me incentivar, gosto muito da minha profissão, estou à espera das suas ideias para transformar em arte e fazer uma bela e original tatuagem.


Avalie este post

Dê uma nota de 1 a 5 estrelas

Comentários

Faça um comentário sobre este post